Projeto cultural resgata história do rock piracicabano por meio da linguagem audiovisual Notícias

Com o objetivo de realizar um resgate de um estilo musical presente na cultura piracicabana desde a década de 1960, ao democratizar diferentes lembranças para gerações distintas, o projeto “Lugar onde o rock não para” traz à tona a produção piracicabana de rock and roll por meio da linguagem audiovisual. Contemplada pelo ProAc Municípios, a iniciativa tem financiamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Prefeitura de Piracicaba, Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo, Fundo de Apoio à Cultura e Conselho Municipal de Políticas Culturais.

Compõem a equipe do projeto o proponente Victor Corte Real (responsável pelas pesquisas e pela área de design), Rafael Bitencourt (jornalista responsável), Maurício Pinheiro (diretor de audiovisual), Sergio Carvalho (assistente audiovisual), Ricardo Moraes (editor de imagens) e Thiago Sacilotto (contador).

Serão produzidos seis vídeos-entrevistas, que serão disponibilizados, gratuitamente, na página oficial do projeto no Youtube. Em cada um dos materiais audiovisuais, será retratada uma década, a partir de 1960, até 2010, com depoimentos de importantes nomes do rock piracicabano de cada período.

Entendemos que o rock envolve questões fundamentais para compreender uma sociedade, escancarar suas mazelas e estabelecer um retrato de cada época. A ideia é investigar como o estilo se desenvolveu em Piracicaba, como era a produção desde os anos 1960 e quais são as principais diferenças e semelhanças até os dias de hoje”, afirma Victor Corte Real.

GRAVAÇÕES – As gravações dos vídeos acontecerão no Engenho Central. No dia 27 de setembro, serão entrevistados os representantes da “velha guarda” do rock piracicabano. Já no dia 18 de outubro, o bate-papo reúne as novas gerações do estilo. O processo de gravação é aberto ao público.

O Engenho Central é um dos mais emblemáticos espaços culturais de Piracicaba e região, que está diretamente ligado à história da cidade, onde ocorreram importantes realizações de rock ao longo dos anos. Por isso, optamos por gravar as entrevistas no local que, por si só, já agrega muito ao projeto”, diz Rafael Bitencourt.

EXPERIÊNCIA – Os seis vídeos entrevistas serão gravados com equipamentos que possibilitam sua exibição em formato 360º, de forma a permitir uma melhor experiência aos espectadores, que podem girar pela tela e assistir a todos os quadros, seja de seu celular ou de seu computador. Além disso, as páginas oficiais do projeto no Facebook e Instagram facilitarão a disseminação dos conteúdos.

Em tempos de mídias digitais, a linguagem audiovisual tem obtido grande aceitação de público, pela facilidade de acesso. A tecnologia elimina barreiras geográficas e demográficas, permitindo às pessoas se conectarem e consumirem diferentes tipos de conteúdo”, conta Maurício Pinheiro.

A expectativa é que os vídeos comecem a ser publicados nos canais oficiais de outubro a partir da segunda quinzena de outubro. O material será, ainda, cedido na íntegra ao MISP (Museu da Imagem e do Som de Piracicaba), órgão ligado à Prefeitura de Piracicaba, permitindo, assim, consultas por parte de estudantes, acadêmicos, jornalistas, além do acesso do público em geral.

SERVIÇO – Projeto “Lugar onde o rock não para”. Produções ficarão disponíveis no Youtube (https://bit.ly/2meUY7z), com adaptações no Facebook e Instagram (@rocknaopara). As gravações de entrevistas ocorrem nos dias 27 de setembro e 18 de outubro, no Engenho Central.

Tags: culturaProacprojeto

Voltar