Thales de Andrade: acervo digital conta 130 anos de história Notícias
Thales Castanho de Andrade

Influência para várias gerações de crianças e jovens por suas publicações sobre a preservação da natureza como condição para o sucesso da agricultura, o piracicabano e precursor da literatura infantil no país, Thales Castanho de Andrade, tem a partir de agora seus 130 anos de história disponíveis em acervo totalmente digital, no www.thalesdeandrade.com.br. O site é uma realização da Academia Piracicabana de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Fotos, documentos, publicações e recortes de jornais configuram suas maiores referências para consulta digital gratuita a todos os pesquisadores e entusiastas da literatura nacional. O acervo físico foi organizado inicialmente pelo fundador da Academia Piracicabana de Letras, João Chiarini, com a contribuição de outros admiradores, tais como Elias Salum, Hugo Pedro Carradore e Moacir Nazareno Monteiro. “Após organização e digitalização de diversos documentos, o acervo está acessível para que novas pesquisas possam ser realizadas sobre o escritor”, explica Vitor Pires Vencovsky, presidente da Academia Piracicabana de Letras.

Thales publicou cerca de 50 livros – grande parte incorporada à época pelas instituições de ensino no Brasil como material imprescindível em sala de aula. Saudade, escrito em 1917, foi seu livro mais famoso, conhecido como o livro ideal, obrigatório e o livro dos livros. Outras obras publicadas: A Filha da Floresta, Itaí, A Estrela Mágica, El-Rei Dom Sapo, Bem-te-vi Feiticeiro, O Pequeno Mágico, Trabalho, O Gigante das Ondas, Dona Içá Rainha; Bela, a verdureira, A Rainha dos Reis e Caminho do Céu, entre outras.

Por todas as suas contribuições na literatura, o professor que marcou gerações é lembrado e homenageado na Semana Thales Castanho de Andrade, instituída pela Lei Municipal n.º 4.857 de 2.000, consolidada pela Lei n.º 5.194 de 2.002. Anualmente, Piracicaba celebra o seu nascimento (15 de setembro de 1890), com atividades literárias gratuitas para a população.

Biblioteca Infantojuvenil Thales Castanho de Andrade

Em sua homenagem, a Biblioteca Infantojuvenil de Piracicaba foi denominada “Thales Castanho de Andrade”. Inaugurada em abril de 1998, recebeu sua denominação pela Lei Municipal n.º 4.464, consolidada pela Lei 5.194 de 2.002. Atualmente, o espaço está localizado na Biblioteca Pública Municipal Ricardo Ferraz de Arruda Pinto e possui um acervo de 2.200 volumes, entre livros infantis, infantojuvenis, juvenis, gibis e jogos.

Além de ter sido o autor homenageado na primeira edição da exposição do projeto Legado das Letras Piracicabanas, em 2008 (Revista Cultura Artística), o educador também ocupou cargos de diretor geral do Departamento de Educação do Estado de São Paulo, diretor da Escola Sud Mennucci e vereador da Câmara Municipal de Piracicaba. Thales, pela relevância de suas obras, suscita interesse acadêmico em dissertações de mestrado.

Educador e escritor de grande valor, Thales nos deixou o legado de ensinar às crianças o respeito e a valorização daquilo que é natural. O acervo digital, como um presente para a cidade, nos possibilitará conhecer um pouco mais sobre este talento”, ressalta Barjas Negri, prefeito de Piracicaba.

     Parte do acervo físico

Para a presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba, Valdiza Maria Capranico, “em vários de seus livros infantis, Thales reforçava o amor e o respeito à natureza, à proteção das matas, dos animais silvestres, ainda numa época em que nossas florestas e nossos animais viviam livremente, nossos rios, caudalosos, eram maravilhas da natureza. Talvez, em seu sábio conhecimento, vislumbrasse, de longe, o que ocorreria com a Terra inteira”.

O ESCRITOR – Thales Castanho de Andrade desde menino se fez prender às experiências de vida na cidade e no campo. Contava com graça as inocentes traquinagens nos ribeirões Guamium e Piracicamirim. Após seus trabalhos na fábrica de bebidas de seus pais, quando o tempo permitia, recebia de Bartolo, da Gazeta de Piracicaba, lições sobre a arte tipográfica.

Ingressou no magistério em Jaú. Em 1917, quando lecionava no Bairro Banharão, escreveu o livro Saudade, mas não encontrou campo para editá-lo. Em 1918, escreveu A Filha da Floresta. Lendo-o em sessão especial a jornalistas, escritores e educadores em 23 de março de 1919, recebeu aplausos dos ouvintes e dos jornais A Tarde, Gazeta de Piracicaba e da revista A Cigarra, que noticiaram o fato. Thales bancou a primeira edição do livro ilustrado por Alípio Dutra, com 5.000 exemplares. Em 1919, foi publicado Saudade, fazendo sucesso nas escolas de 3º e 4º anos.

Em 06 de novembro do mesmo ano, celebra contrato com a Companhia Melhoramentos. Com a publicação de A Filha da Floresta, deu-se início à Coleção Infantil Encanto e Verdade. Teve 47 livros publicados entre 1919 e 1970.

Tags: A FlorestaescritorprofessorSaudadeThales Castanho de Andrade

Voltar